Compartilhe o nosso portal

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

São Luís (MA), 28 de novembro de 2020

Reviravolta no caso da morte do sobrinho de Sarney: Ayrton Campos seria inocente e deve ser solto!

Ayrton Campos Pestana seria inocente e  deve ser libertado publicitário Diogo Adriano Costa Campos, 41 anos,  sobrinho do ex-presidente José Sarney,  apresentou-se à polícia, ainda à noite de terça-feira, dia do crime,  mas negou que tenha sido o autor. E parece que Ayrton tem razão. Crime de grande repercussão em todo o Maranhão, o fato ocorreu por volta das 11:30 da manhã de terça-feira (16), na Lagoa da Jansen. O publicitário Diogo Adriano Costa Campos.
Ayrton Campos Pestana, o jovem inicialmente suspeito de matar o Diogo Adriano Costa Campos, a vítima
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Ayrton Campos Pestana, o jovem inicialmente suspeito de matar o publicitário Diogo Adriano Costa Campos, 41 anos,  sobrinho do ex-presidente José Sarney,  apresentou-se à polícia, ainda à noite de terça-feira, dia do crime,  mas negou que tenha sido o autor. E parece que Ayrton tem razão.

Diogo Campos, sobrinho de Sarney, morto com um tiro no pescoço
Diogo Adriano Costa Campos, a vítima

Crime de grande repercussão em todo o Maranhão, o fato ocorreu por volta das 11:30 da manhã de terça-feira (16), na Lagoa da Jansen. O publicicitário Diogo Adriano Costa Campos terminara de sair do seu apartamento, ali perto,  dirigindo o automóvel Kwid PTB-2970, e se envolveu numa discussão de trânsito  com o condutor de um Argo vermelho que, num primeiro momento, acreditava-se ser do pai de Ayrton.

Só que o Instituto de Criminalística (Icrim) informou hoje à tarde que o laudo, fruto da perícia realizada  no veículo Fiat Argo vermelho, de placas PTJ-2844,  pertencente ao pai de Ayrton Campos Pestana, não é o mesmo  conduzido pelo criminoso que atirou em Diogo. Um dos veículos é um Argo comum, o outro, um Argo drive. Um tem para-brisa traseiro, o outro, não.

Assim, Airton deve ser solto, e a Superintendência de Homicídios terá que localizar o veículo do criminoso, e prender o assassino.

Acompanhado de advogado e do pai, dono de uma oficina na Venceslau Brás, na Camboa, e verdadeiro dono do Fiat Argo vermelho, Airton  garantiu ao delegado que passou a manhã na oficina e que ao meio-dia foi almoçar com o pai, no Monte Castelo. Disse, ainda, que soube do caso depois que já estava sendo acusado pelo crime. E informou que desconfia de que o carro do pai teve as placas clonadas.

Antes mesmo do suspeito ir à Superintendência de Homicídios, Katia Campos, tia dele, procurou o blog do jornalista Gilberto Leda para dizer que o sobrinho era inocente, e que tudo seria esclarecido. Mesmo assim, ele ficou preso, pois já havia um mandado de prisão contra ele quando se apresentou à Superintendência de Homicídios.

O crime ocorreu por volta das 11:30 da manhã de terça-feira (16), na Lagoa da Jansen. O publicitário Diogo Adriano Costa Campos terminara de sair do seu apartamento, ali perto,  dirigindo o automóvel Kwid PTB-2970, e ao sair da garagem do seu condomínio, distraído, quase se envolveu num acidente, ao sair da garagem do seu condomínio, o que teria gerado o “estranhamento” com o condutor de um Argo vermelho – que seria um carro que estaria identificado com o  mesmo número  placa do carro do pai de Ayrton.

Em frente ao Bar Por Acaso,  o publicitário teria “trancado” o carro do desconhecido, descido do seu Kwid para tomar satisfação com o estranho.  Foi quando este, de dentro do carro,  sacou de uma arma de fogo e acertou o Diogo com um tiro na garganta.

Para a Superintendência de Homicídios, inicialmente o suspeito número 1 seria Airton, já que a placa do carro da família era a mesma do veículo – também um Argo vermelho – que se envolveu no homicídio. Porém, diante da insistência da  família de que nem carro era o da cena do crime nem o autor era Ayrton, a polícia civil  caiu em campo e anunciou esta tarde que muito provavelmente Ayrton Campos Pestana é inocente.

A vítima, Diogo Adriano Costa Camposé filho de Concy Sarney, filha de Evandro Sarney (falecido) e irmão de Gustavo Sarney, advogado que foi diretor do Fórum. Ele residia no Edifício São Gabriel, na  Rua Frei Antônio, Lagoa da Jansen.

O assassinato ocorreu em frente ao Bar “Por acaso”, na Lagoa da Jansen. Diogo discutira com o condutor do Argos que estaria clonado, após um desentenimento no trânsito.

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *