Compartilhe o nosso portal

São Luís (MA), 4 de junho de 2024

Investigado por agressão a Alexandre de Moraes é expulso de partido

Roberto Mantovani Filho, investigado por hostilidade ao ministro do STF em Roma, era filiado à legenda de Kassab e tem histórico político no interior paulista (O estado de Minas)

Roberto Mantovani Filho, investigado por hostilidade ao ministro do STF em Roma, era filiado à legenda de Kassab e tem histórico político no interior paulista (O estado de Minas)

Andréia Munarão e Roberto Mantovani Filho, casal investigado por hostilizar ministro do STF na Europa (foto: Reprodução/Redes sociais)

O PSD expulsou de seus quadros o empresário Roberto Mantovani Filho, investigado por hostilidade ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes no aeroporto de Roma. A expulsão ocorreu na terça-feira (18) e foi lançada nesta sexta (21) no sistema do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Procurado para confirmar sua decisão, o presidente do PSD, Gilberto Kassab, explicou ter se valido de prerrogativa expressa no estatuto do partido para a desfiliação em resposta a ato disciplinar.

Embora o cancelamento automático seja facultado somente ao presidente do PSD, Kassab afirma ter consultado integrantes da Executiva e lideranças partidárias para realizar o desligamento.

Mantovani integrava o PSD desde março de 2016, pelo município de Santa Bárbara D´Oeste (SP), onde exerce influência política e também no futebol.


O advogado do empresário, Ralph Tórtima Filho, criticou a medida. “Muito surpreende atitudes precipitadas como essa, em que um homem de passado ilibado, como uma linda história de vida, é ‘julgado’ por ato que nem mesmo foi apurado nas instâncias cabíveis. O tempo evidenciará o desacerto e a injustiça cometida com essa esdrúxula decisão do partido PSD”, afirmou neste sábado (22/07).

A data de expulsão coincide com a realização de operação de busca e apreensão na residência do casal investigado. O empresário tem direito de recurso, mas a manifestação não teria efeito suspensivo.

Visto como um desafeto por aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Moraes foi hostilizado no aeroporto italiano, aos gritos de “bandido”, “comunista” e “comprado”, e relatou um golpe contra seu filho, cujos óculos chegaram a cair.

Leia mais: Suspeitos de hostilizar Moraes devem pedir imagens à Justiça italiana 


Mantovani, que estava com Andreia Munarão, sua esposa, Alex Zanatta Bignotto, seu genro, e Giovanni Mantovani, seu filho, definiu a situação como “um entrevero”.

Em sua trajetória política, Mantovani já tirou fotos ao lado do presidente Lula e foi aliado do PT durante corrida municipal de 2004.


Em 2004, quando Lula cumpria o seu primeiro mandato como presidente, Mantovani foi candidato a prefeito de Santa Bárbara d’Oeste, no interior de São Paulo, pelo PL, tendo como vice na chapa Luis Vanderlei Larguesa, do PT.


Um dos santinhos de sua campanha mostra o empresário ao lado do petista. “Com Mantovani, o presidente Lula apoia Santa Barbara”, dizia.


Colaborou Artur Rodrigues

Veja também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.